06 | junho

Programa incentiva o desenvolvimento profissional de jovens com deficiência

A qualificação profissional ainda é um dos principais gargalos para a entrada de pessoas com deficiência (PCD) no mercado de trabalho. Com o objetivo de oferecer formação a jovens com deficiência em busca de oportunidades de emprego, o Grupo Plaenge (do qual a Vanguard Home faz parte) implantou em Londrina a primeira turma do Programa Jovem Aprendiz PCD. São cinco adolescentes e jovens com deficiência que, além de fazerem cursos profissionalizantes em entidades parceiras, também atuam em diferentes setores da construtora.

Um dos novos contratados é Pedro Henrique Gonçalves Alves, de 18 anos. O jovem ficou tetraplégico após um acidente na infância, e havia acabado de terminar o Ensino Médio quando viu pelas redes sociais a oportunidade para jovens PCD na construtora. “Entrei em contato com a Epesmel e me inscrevi, mas achei que nunca iriam me chamar. Foi uma surpresa”, conta ele, que tem o incentivo da mãe, Eliane Cristina Gonçalves Alves, e do avô, Antônio Francisco Gonçalves.

_GT28741

Pedro Henrique Gonçalves Alves, de 18 anos

O avô é quem traz Pedro diariamente de Jataizinho – onde vivem – para trabalhar em Londrina, a 30 km. “Estou disponível para auxiliar o Pedro porque considero o trabalho muito importante”, conta Antônio, um motorista aposentado. Todos os dias da semana, ele aguarda o jovem, que presta serviços na área de segurança do trabalho, até o término do expediente de meio período. A mãe de Pedro é comerciante em Jataizinho e conta que, ao contrário de muitas famílias de jovens PCD, faz questão que o filho seja independente. “Muitos pais têm medo que os filhos saiam, mas em casa nós o incentivamos a ter autonomia, sempre tomando os cuidados necessários”, relata.

_GT28802

Pedro tem o apoio da família para chegar ao seu local de trabalho

A tecnologia tem sido uma grande aliada para garantir que o adolescente cumpra as tarefas diárias. Como só mexe a cabeça, Pedro usa um “track ball” que manipula com a boca para substituir o que faria com as mãos. “Uso o teclado virtual do computador”, explica o rapaz, que está motivado com o trabalho. “Estou me dedicando para ser efetivado”, garante. O trabalho é muito importante para a área. Ele é o responsável por alimentar planilhas de controle de documentos e treinamentos obrigatórios na segurança do trabalho.

Pedro Henrique Gonçalves Alves, de 18 anos

Pedro Henrique Gonçalves Alves durante o trabalho na Vanguard Home

O engenheiro de obras do Grupo Plaenge em Londrina, Omar Malouf Ibrahim, é o líder responsável pela integração do jovem aprendiz. “É uma experiência desafiadora, porém motivadora. Fico feliz por contribuir para a realização do desejo que o Pedro tinha de trabalhar”, comenta. Ele revela que, em breve, Pedro começará a fazer contatos telefônicos com os gestores de diversas áreas para informar sobre os exames e treinamentos. “Estamos buscando um software específico para ele operar o telefone. Além disso, a Vanguard Home será reformada e já incluímos no projeto a total adaptação do imóvel com itens de acessibilidade. Com a presença diária do Pedro na empresa, passamos a dar ainda mais importância para o tema”, conta.

Equipe da área de segurança do trabalho da construtora em Londrina

O Grupo Plaenge reúne hoje 17 pessoas com deficiência, além dos cinco contratados por meio do Programa Jovem Aprendiz. Entre eles, quatro estão na área administrativa e um dos jovens, surdo, atua como aprendiz de pedreiro em uma das obras da construtora. Segundo a analista de recrutamento e seleção, Marimilia Dalpizzol Soler, a chegada desses jovens exigiu um trabalho de sensibilização dos líderes, que entenderam a importância de abrir oportunidades a essa parcela da população e os acolheram. Ela lembra que a iniciativa só foi possível porque a empresa está aberta a investir em tecnologia e acessibilidade. “A chegada do Pedro está exigindo adaptações que vão abrir caminhos para outros profissionais com deficiência”, espera.

Confira as matérias sobre o programa Jovem Aprendiz PCD, produzidas por canais de televisão da cidade.

RPC TV: Jovem Aprendiz é alternativa para qualificar portadores de deficiência

TV Tarobá: Construtora cria programa para qualificar jovens com deficiência

Para mais informações sobre o programa, entre em contato com a Epesmel (Escola Profissional e Social do Menor de Londrina), pelo telefone (43) 3325-4128.

___________

Texto: Erika Zanon | Assessoria de Imprensa – Plaenge

Fotos: Gabriel Teixeira

Faça seu comentário

Nome:

E-mail:

Mensagem: limite de caracteres 1500.

Entrar pelo Facebook

Código da validação

Nenhum comentário