27 | novembro

Dicas valiosas para controlar os gastos neste fim de ano

Dicas valiosas para controlar os gastos neste fim de ano

O fim de ano é um período tentador e muita gente coloca em risco a saúde financeira da família ao gastar mais do que pode.

Para fugir dessa cilada, o ideal é praticar a sustentabilidade, ou seja, o consumo consciente. Isso quer dizer: não se deixe levar pelo dinheiro extra do 13º salário e pelo clima natalino para comprar por impulso.

Dentro do conceito de consumo consciente, você compra o que realmente precisa no momento. Quem compra por impulso está sempre endividado.

Dicas valiosas para controlar os gastos neste fim de ano

Confira algumas orientações para planejar e controlar bem os gastos deste período:

Pague as dívidas | se está com dívidas de cartões de crédito ou cheque especial — que apresentam os juros mais altos — a recomendação é usar o 13° salário para saldá-las.

Compre alimentos de época | procure fazer as compras da ceia de Natal com antecedência, pensando sempre nos produtos de época, como o abacaxi, melancia, castanhas, que são mais baratos. Faça uma ceia mais simples, com produtos nacionais e não gaste acima do que pode.

Dê presentes pequenos, mas significativos | faça uma pesquisa de mercado, procure promoções. Lembre-se de não exagerar ao demonstrar seus sentimentos pelas pessoas queridas. O que vale em um presente de Natal não é o preço, mas o significado que ele tem.

Planeje as viagens com antecedência | as viagens exigem um bom e prévio planejamento para evitar gastos maiores. O ideal é fazer uma poupança destinada à viagem e fazer a compra de pacotes e passagens aéreas com antecipação.
Para quem pode, viajar fora de temporada sempre é a melhor opção, já que na temporada os preços sobem muito.

Poupe | pelo menos uma parte do dinheiro que vem neste período de ano deve ter como destino a poupança. Além do mais, começo de ano sempre vem acompanhado do pagamento de impostos, como IPVA, IPTU, matrículas e material escolar dos filhos.

Resumo | em suma, nos últimos meses do ano, o trabalhador precisa reservar o seu dinheiro para três situações: pagamento de dívidas, gastos do fim e início de ano e poupança.